Introdução

À semelhança dos anos anteriores, partindo do tema proposto pela World Federation for Mental Health (WFMH) para o Dia Mundial da Saúde Mental de 2015 – “Dignidade na saúde mental”, está a ser desenvolvido um programa de Comemorações ambicioso que procura abranger algumas áreas prioritárias no âmbito da saúde mental e chegar a diferentes públicos. É uma iniciativa que envolve os diferentes parceiros da Rede de Apoio à Reabilitação Psicossocial Para Pessoas com Doença Mental da Área Metropolitana do Porto (RARP-AMP), em conjunto com outras instituições, pretendendo reforçar a importância da cooperação intersectorial para responder aos desafios com que nos confrontamos na promoção da saúde mental e prevenção da doença mental.

A um ano de terminar o período previsto para a implementação do Plano Nacional para a Saúde Mental (2007-2016), considerado um dos prioritários da Direção Geral da Saúde, a realidade é que continuamos a confrontar-nos com notícias que nos reportam um agravamento da saúde mental dos Portugueses.

Constatar que houve um aumento da prevalência das doenças mentais; que aumentou o número de suicídios; que um em cada cinco adolescentes já se magoou para lidar com o sofrimento; que 20.000 crianças e jovens sofrem de um problema de saúde mental num determinado ano, mas que apenas existem 20 camas para pedopsiquiatria a nível nacional; que o tão esperado processo de desinstitucionalização acabou por ser, em larga escala, transinstitucionalização; que os cuidados continuados integrados não saíram do papel, entre outras notícias, é estarmos perante uma realidade longe dos objetivos previstos e que denota um agravamento de uma situação há muito deficitária, com impacto em áreas tão diversas como a saúde física, o sucesso escolar, a produtividade, a sustentabilidade, a coesão social, entre outras.

Podemos, pois, afirmar estar comprometida a “dignidade na saúde mental” em Portugal, o que apela à realização de uma reflexão alargada envolvendo diferentes sectores da sociedade, no sentido de se encontrar caminhos que permitam travar este desinvestimento que a todos afeta.

O programa das Comemorações de 2015 inclui diversas iniciativas a decorrer durante o mês de outubro e dirigidas e diferentes públicos.

1 EM CADA 4 PESSOAS PASSA PELA EXPERIÊNCIA DE UM PROBLEMA DE SAÚDE MENTAL

NÃO HÁ SAÚDE SEM SAÚDE MENTAL