Doutoramento em Ciências da Educação

Depoimentos: 

Tem sido um verdadeiro projeto de vida e de desenvolvimento profissional…

Ingressar no doutoramento era um objetivo a concretizar pela necessidade intrínseca de questionar, refletir, partilhar e promover o desenvolvimento e satisfação pessoal e profissional. A complexidade da escola a nível organizacional e da ação dos seus agentes implica essa permanente reflexão, partilha e envolvimento que nos permita evoluir no sentido de desenvolver um outro olhar sobre a escola, revisitar paradigmas e encontrar novas dinâmicas para responder aos constantes desafios educativos e promover uma cultura de melhoria das aprendizagens.

Esta nova fase, ainda que complexa dadas as inúmeras solicitações que um docente sente no seu quotidiano, excedeu as minhas expetativas. Tem sido um verdadeiro projeto de vida e de desenvolvimento profissional, no qual tem emergido a qualidade a nível da profundidade e intensidade das leituras, das temáticas, dos seminários e onde nos sentimos, sistematicamente, desafiados a participar.

Marcante, também, pelo excelente grupo de docentes que nos acompanham e pelo grupo turma ao qual tenho orgulho em pertencer pela relação única que desenvolvemos. Ambos são, de facto, uma inexcedível oportunidade de crescimento pessoal e profissional. Momentos de incerteza, inquietação, desânimo? Naturalmente que sim. Diria que o 1º ano foi absorvente e constantemente desafiante, a nova fase de investigação é complexa mas intensa, profícua e uma experiência única. Um forte sentido de solidariedade e interajuda entre colegas e docentes são os motores da motivação que estão sempre presentes.

Graça Maria Pires, Doutoranda, Edição 2014-2017 (Professora no Agrupamento de Escolas de Monte da Ola)

 


Há tanto para Aprender

Sendo oriundo de uma área do saber outra, o primeiro impacto é o da constatação da muita ignorância, fragilmente alcandorada na experiência e no senso comum. Há tanto para aprender...
Uma segunda nota prende-se com a competência, o rigor, exigência, mas também o apoio, a orientação, a estimulação dos mestres. Temos quem nos ensine tanto...
E para seis linhas pedidas: o ambiente de proximidade, de familiaridade até; que passa pelo convívio, por cumplicidades, por solidariedades várias. Aprendemos tanto uns com os outros...

Francisco Guimarães, Doutorando, Edição 2014-17

 


Muitas Razões Ponderosas

Foco no essencial pelo desenvolvimento de genuína atitude de pesquisa sobre problemas do terreno, e de pensamento crítico estruturado para conceber e organizar investigação. Acompanhamento considerante  e apoio continuado de proximidade dos tutores de investigação e dos professores. Modos de trabalho de base coloquial, fundados em partilha e debate. Processos de avaliação interligados, concorrentes para a maturação do projeto doutoral. Extensa disponibilidade de recursos documentais. Estímulo recorrente para participação e integração na comunidade científica. Facilitação do acesso ao campo para investigação. Flexibilidade organizativa decidida por ajustamento com os discentes. Gratificante espírito de camaradagem e entreajuda dos colegas. Eis as razões ponderosas para testemunhar o contentamento de integrar como aluno a 4ª edição do programa de Doutoramento em Ciências da Educação da Católica Porto.

Rui Lourenço Gil, Professor Auxilar Convidado da Católica Porto Bussiness School

 


Porque decidi frequentar o doutoramento em Ciências da Educação?

A resposta é relativamente simples. Porque gosto!
Gosto da área de conhecimento em causa, apesar de distante da minha formação inicial (Química Industrial) e da área que leciono atualmente (Física e Química). É uma experiência que me proporciona novos olhares, para além de contribuir para a evolução do meu conhecimento.
Porque escolhi a Universidade Católica - Centro Regional do Porto?
A resposta também é relativamente simples. Porque procurava uma instituição com a qual partilhasse valores e que me proporcionasse garantia de uma boa orientação e apoio durante os 5 anos que prevejo para esta etapa.

Joana Leite, Doutoranda, Edição 2014-17

 


Pessoalmente, o doutoramento na Universidade Católica Portuguesa, em ciências da educação, proporcionou-me a oportunidade de aprofundar temáticas educativas da atualidade relacionadas com a nova organização pedagógica das escolas, lideranças escolares, (in)sucesso escolar, etc., com professores altamente qualificados e competentes. Marcou-me bastante os debates do fórum, os cuidados, o apoio e a atenção prestados pela equipa de coordenação do doutoramento e professores, nos mais variados domínios da vida universitária. A Católica Porto é a melhor instituição de ensino em que já passei.

Samuel Tumbula, Doutorando Edição 2015-18, Assessor do Ministério da Educação de Angola

 


É como se fosse dar vida a um espectador adormecido

Na frequência da parte curricular do doutoramento encontrei o fundamento teórico para o empirismo que foi sendo construído no dia-a-dia da minha atividade profissional docente. O que eram ideias e pensamentos isolados ganharam coerência. O diálogo com os outros doutorandos tem permitido refinar o meu pensamento e encontrar mais pontos de tangência, sobre a atualidade do estado em que se encontra o processo de ensino, do que pontos de divergência. A possibilidade de desenvolver um procedimento de investigação pode converter-me num profissional mais interventivo, é como se fosse dar vida a um espectador adormecido.

Manuel Bertão, Professor do Ensino Secundário, Doutorando, Edição 2015-18

 


Uma oportunidade única de crescimento pessoal e profissional

O doutoramento em Ciências da Educação, da Universidade Católica do Porto, revelou ser uma oportunidade única de crescimento pessoal e profissional ao possibilitar uma reflexão profunda e construtiva sobre o fenómeno educativo. Encorajou ainda a valiosa e tão necessária partilha de experiências e conhecimentos que se revelaram imprescindíveis para a edificação de novas lentes que me renovaram a crença da imprescindibilidade da escola como fator de progresso do ser humano, bem como, a necessidade de ser autor nesta profissão e, assim, contribuir para a renovação da escola.

Francisco Soares, Professor de Música no Conservatório do Porto, Doutorando, Edição 2015-18

 


A Força Criativa para Agir

Encetar uma etapa tão desafiadora como um Doutoramento é sem dúvida uma decisão muito difícil de se tomar. Porém, enquadrando-o na área profissional da nossa competência, nomeadamente a educativa, significa ousar pormo-nos em causa e ir um pouco mais além das nossas certezas empíricas manifestadas de tão forma tão imprudente e irascível.
No fundo, é-nos dada a palavra e a força criativa para agir, transformando, remexendo, agitando.
E nada será mais o mesmo depois de descobrir o ninho em que essas ideias vão ganhando asas.

José Miguel Amaral, Professor de Música no Conservatório de Viseu, Doutorando, Edição 2015-18

 


Um marco decisivo para a melhoria do meu desempenho

O Doutoramento em Ciências da Educação, pela Faculdade de Educação e Psicologia da Universidade Católica do Porto tem-se revelado uma experiência enriquecedora a nível profissional e pessoal, um marco decisivo para a melhoria do meu desempenho enquanto docente dos Ensinos Básico e Secundário. Desde o início que me incute o desejo de perseguir um horizonte de melhores práticas, assim como a construção de um caminho caracterizado por ações estratégicas, sustentadas por uma capacidade reflexiva que tem vindo a ser aprimorada. As lentes que me foram disponibilizadas apuraram-me o olhar para problemáticas educacionais e sociais e permitiram-me ver certos fenómenos sob diferentes perspetivas, cada vez mais distanciadas de conceções do senso-comum e de achismos que abundam em Educação. O corpo docente prima pelo profissionalismo, rigor científico, disponibilidade, solidariedade, apoio permanente e por uma proximidade, pedra rara no contexto do ensino superior em Portugal.

Hélder Martins, Professor do Ensino Secundário, Doutorando, Edição 2015-18

 


Da necessidade de aclarar horizontes

A oportunidade de frequentar o Doutoramento em Ciências da Educação, na área de Administração e Organização Escolar, surgiu da vontade de procurar novos caminhos nesse campo tão fecundo e, simultaneamente, tão descurado, a educação. Enquanto educadora, revejo-me numa curiosidade incessante, que me comove, me perturba e me insere na procura de permanentemente aprender para permanentemente ensinar. Ao longo deste primeiro ano curricular, foi-me propiciado o sabor da oportunidade de proporcionar, ao mundo da Escola, novos horizontes. Na Universidade Católica do Porto, encontrei os meios de navegação adequados para esta minha demanda pessoal e profissional.

Paula Pessoa, Professora do Ensino Secundário, Doutoranda, Edição 2015-18

 


Este curso tem-me proporcionado momentos ricos de partilha e de aprendizagem com impacto no meu desenvolvimento profissional e pessoal

A minha candidatura ao doutoramento em Ciências da Educação, da Faculdade de Psicologia e Educação da UCP partiu de uma vontade de (re)pensar a escola e de refletir sobre o meu trajeto profissional. As minhas expectativas até ao momento estão a ser atingidas pelas temáticas abordadas nas aulas, pelas leituras, discussões e reflexões realizadas com os professores e colegas de curso e pelas oportunidades criadas. Aliado ao excelente corpo docente do curso tive (e tenho) o privilégio de pertencer a um grupo de doutorandos fantástico, constituído por pessoas com vontade de aprender, pessoas que querem ir mais além, pessoas que querem ver para além da montanha.Este curso tem-me proporcionado momentos ricos de partilha e de aprendizagem com impacto no meu desenvolvimento profissional e pessoal e, consequentemente, na minha atividade profissional.

Sílvia Amorim, Professora do Ensino Secundário, Doutoranda, Edição 2014_17