Católica e Leya divulgam resultados de estudo sobre o papel da Escola e dos Educadores

Dando continuidade a uma colaboração iniciada em 2019 entre a Católica Porto Business School, a Faculdade de Educação e Psicologia da Universidade Católica e a iniciativa da Leya – Escola Amiga da Criança, foram recentemente divulgados alguns resultados de um estudo sobre o papel da escola e dos educadores.

O estudo surgiu no seguimento de um estudo anterior sobre a missão da escola, no qual as perceções de encarregados de educação e professores foram cruzadas relativamente àquilo que se entendia ser a preponderância das várias ‘missões’ da escola´ (ex.: promoção do desenvolvimento socioemocional; veículo de produção de conhecimento científico), e aferiu-se a existência de práticas educativas que permitissem suportar essas missões. No contexto de pandemia surgiu o interesse de perceber se a perceção dos encarregados de educação relativamente à missão das escolas se mantinha, bem como aferir a sua perceção relativamente ao papel dos professores em contexto de pandemia, à autonomia dos seus educandos (especialmente importante num contexto de estudo/aprendizagem sem a presença do professor), e ao atual sistema de acesso ao ensino superior.

Apresentação do Estudo pela docente Conceição Silva [1:14]

Os resultados do inquérito, que contou com a resposta de mais de 23 mil encarregados de educação, apontam para uma menor valorização dos vários eixos da missão das escolas, e para uma maior valorização do papel dos professores pelos encarregados de educação.  Neste estudo, os encarregados de educação reconhecem bastante autonomia nos seus educandos (especialmente em ciclos de ensino mais altos), mas ainda assim reportam que estão bastante presentes na monitorização de atividades e no controle dos prazos de entrega, o que pode ser um indicador de necessidade de promoção de competências de autorregulação da aprendizagem nos alunos. Quanto ào acesso ao ensino superior, a amostra de pais com alunos no ensino secundário revelou o interesse em que sejam discutidas novas formas de acesso e em concreto valorizou em último lugar os exames nacionais como ferramenta de acesso (entrevistas, exames da própria universidade, ou valorização de percursos anteriores foram mais valorizadas como formas de acesso).

Da equipa de investigadores fazem parte: Conceição Silva, da Católica Porto Business School; Luísa Mota Ribeiro, Marisa Carvalho e Rosário Serrão Cunha, da Faculdade de Educação e Psicologia; e Luísa Vital, do Grupo Leya.

Outubro 2020